Pastor Silas Malafaia ofende jornalista Eliane Brum em entrevista ao The New York Times

Redação Portal IMPRENSA | 28/11/2011 10:35
O pastor da Assembleia de Deus, Silas Malafaia, chamou a jornalista Eliane Brum de "vagabunda", em entrevista ao The New York Times, publicada na última sexta-feira (25).

Ele ofendeu Eliane em razão de um artigo no site de Época, em que a jornalista abordou a intolerância com pessoas ateístas por parte dos adeptos às "novas fés", referindo-se ao crescente número de fiéis às igrejas evangélicas, "em uma disputa cada vez mais agressiva por fatias no mercado entre as grandes igrejas".

Na entrevista ao NYT, que aconteceu em Fortaleza (CE), o líder evangélico insultou Eliane e disse que os "comunistas ateístas" na ex-União Soviética, Camboja e Vietnã foram responsáveis por "mais mortes" do que "qualquer guerra produzida por questões religiosas".

O artigo de Simon Romero, que menciona reportagens publicadas nas revistas Época e Piauí sobre o "personagem", fala da figura controversa e influente, religiosa e política do pastor dentro do contexto de crescimento das fés pentacostais e das igrejas que constroem "impérios" no País.

Malafaia se considera o "inimigo número um do movimento gay" e ataca as leis que visam a descriminalizar o aborto e as drogas.

Eliane respondeu à ofensa, com uma nota publicada nesta segunda-feira (28), junto com a coluna "Nossa Sociedade", na Época:

"Em minha coluna de 14/11, intitulada 'A dura vida dos ateus em um Brasil cada vez mais evangélico', escrevi sobre o crescimento da intolerância religiosa na vida cotidiana brasileira, com a multiplicação das novas igrejas pentecostais nas últimas décadas. Indagado sobre o meu artigo em uma entrevista ao jornal The New York Times, o pastor Silas Malafaia me chamou de 'tramp'. A palavra de língua inglesa significa 'vagabunda'. A afirmação do pastor é autoexplicativa: ao atacar minha honra por discordar de minhas ideias, ele proporciona a maior prova do acerto e da relevância do meu artigo."

Leia mais