“Jornalismo de casa, informação em tempos de pandemia”, por Erismar Silva Alves

Artigo vencedor do Foca na IMPRENSA (maio 2020)

Erismar Silva Alves | 28/05/2020 17:44
Crédito:Pixabay


Nesses tempos de "confinamento doméstico", o que estamos vendo com mais frequência é, sem dúvida, o jornalismo. Os veículos de comunicação mudaram os seus programas e focaram na informação. O momento não é para menos, a informação é o melhor caminho para a sociedade.

As empresas tiveram que se adaptar ao home office, a fim de evitar o contato entre os funcionários, seguindo as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS). As empresas de comunicação também adotaram este procedimento, deixando em casa aqueles considerados do "Grupo de Risco", e os demais trabalhando em sistema home office.

De fato, é possível praticar o jornalismo a distância, com as redes sociais como um campo forte para a publicação de matérias jornalísticas. No entanto, tem matérias nas quais não se pode abrir mão do presencial, da análise do momento, de como anda um hospital, por exemplo, se tem os insumos necessários para o combate à doença, nesses casos a presença do jornalista é indispensável.

E esses jornalistas que estão diante dos fatos, fazendo a apuração em campo, precisam estar protegidos em meio às aglomerações que podem se formar ao seu redor. E também ter garantias de que seu trabalho não seja interrompido.

Para Thiago Uberreich, âncora do Jornal da Manhã da rádio Jovem Pan, não há muito o que fazer no rádio, no caso dos apresentadores. Os repórteres da rádio estão em rodízio, uma semana vão à redação, na outra ficam em casa. E ele complementa: "Eu ficava na rádio até umas 15h, hoje, termino o Jornal da Manhã e vou para minha casa, acesso a redação de casa, escrevo matérias e jogo no portal da rádio".

O jornalismo de casa é possível. Temos hoje diversas plataformas para a conexão à distância. As empresas fazem reuniões via aplicativos, tornando assim mais fácil o desenvolvimento do trabalho. E esses meios também permitem entrevistas, algumas delas ao vivo, tornando assim o jornalismo de casa viável, em tempos como esses.

*Erismar Silva Alves é jornalista, recém-formado pela Universidade Paulista – UNIP, em 2019. 

Leia também