Opinião: “Plantão da Saúde, jornalismo de serviço na televisão aberta em horário nobre”, por Wagner de Alcântara Aragão

Wagner de Alcântara Aragão | 22/05/2020 15:03
Caminhamos para completar o terceiro mês de pandemia do novo coronavírus. Fala-se, também, que ao mesmo tempo enfrentamos uma “infodemia” - uma avalanche de informações, que mais atrapalham que ajudam. Pela quantidade, de uma vez só. E, não raro, pior: pela qualidade duvidosa.

Há, por outro lado, trabalhos que merecem ser ressaltados, como reconhecimento e, principalmente, para que sirvam de inspiração. Mais exemplos assim só vêm a contribuir. Que se espalhem, que tenham abrangência ainda maior.

Tenho acompanhado, já há algumas semanas, o “Plantão da Saúde Coronavírus”, da TV Gazeta. Um programa de uma hora de duração, das 18h às 19h. No horário em que era exibido, até então, o Gazeta Esportiva. Os apresentadores, inclusive, são oriundos daquela atração: Michelle Gianella e Celso Cardoso.
Crédito:Reprodução / TV Gazeta

É um programa jornalístico. Melhor, com “J” maiúsculo: Jornalístico. Traz notícias do dia, atualiza os últimos dados e as mais recentes providências. O trabalho da pauta é primoroso. O ponto alto está, também, nas entrevistas. Diariamente, de duas a três fontes são convidadas a apresentarem ao público informações confiáveis, análises lúcidas, relatos agregadores.

Contam a favor a qualificação das fontes e a competência dos apresentadores na condução das entrevistas. Michelle Gianella e Celso Cardoso deixam os entrevistados e as entrevistadas falarem, sem interrupções desnecessárias. Ao mesmo tempo, não se abstêm de perguntar, mas lançam questionamentos de interesse público. Não há busca por polêmicas desnecessárias, nem por lacração. A busca é por informação, explicação.

Vez por outra avançam para o campo dos comentários. Contundentes até, como críticas à falta de empatia daqueles que, podendo ficar em casa, optam por não respeitar o distanciamento social. A crítica, veemente, não é feita por arroubos, nem gritaria, nem super expondo imagens e pessoas. É pontual, objetiva.

Vale sublinhar que o programa é exibido quando começa o horário nobre da televisão brasileira. Quando uma boa parte das pessoas encerrou as atividades do dia. Contudo, infelizmente o alcance territorial da TV Gazeta está aquém do ideal.

Que sirva, como dito, de inspiração, de referência para as demais emissoras, para que assim a informação confiável, a análise embasada sejam disseminadas.

Afinal, o que mais precisamos neste momento é preservar a saúde. E a preservação da saúde passa pelo conhecimento.

Crédito:Arquivo pessoal

*Wagner de Alcântara Aragão é jornalista e professor de disciplinas de Comunicação na rede estadual de ensino profissional do Paraná. Mestre em Estudos de Linguagens (UTFPR). Mantém um site de notícias (www.redemacuco.com.br) e promove cursos e oficinas nas áreas de Comunicação e Cultura, sobre as quais desenvolve pesquisas também.

Leia também