Opinião: “Ciência na pauta em tempos de pandemia, sem pressa”, por Fernanda Iarossi

Para ouvir ou ler, iniciativas para divulgar dados científicos, de forma mais informal ou acadêmica, reforçam ações de jornalistas e checadores de informação

Fernanda Iarossi | 17/04/2020 11:00
Horas e horas de jornalismo na televisão, internet, no rádio falando de como um vírus contamina o organismo; listas e mais listas (vai e vem de números) de contaminados, curados ou mortes vindas do Ministério da Saúde, das Secretarias de Estados ou Municípios; mapas, gráficos e infográficos tentam explicar possibilidades de vacinas, medicamentos, tratamentos, "rotas" de contaminação; passo a passo de como lavar as mãos, usar as luvas, limpar a casa, os alimentos, as embalagens.
Crédito:Pixabay

Informação sobre a pandemia do novo coronavírus não falta - de diferentes fontes, em diferentes formatos, com diversas abordagens. Mesmo quem não aguenta mais o mesmo assunto, ainda mais em tempos de isolamento social, necessidade de evitar sair de casa ou estar em aglomerações, vale atentar-se para duas iniciativas que reforçam o tom didático ou acadêmico de falar sobre ciência para informar, esclarecer e educar.

A primeira é para escutar, sem pressa: o podcast A Terra É Redonda, apresentado pelo repórter Bernardo Esteves. A ideia é o "olhar da ciência para as questões da atualidade". Ou seja, com entrevistas, apuração de dados "cirúrgica" e uma produção mega criativa (que inclui gravações bem humoradas com dúvidas de crianças - ouvir os pequenos garante uma leveza e pureza diante de perguntas que envolvem a área da ciência, e efeitos sonoros que levam o ouvinte a "viajar" para cenários naturais). Uma forma que facilita o aprendizado e como está disponível via web pode ser ouvido em uma tacada só, por parte e, o melhor, ser resgatado quando quiser ou precisar.

A segunda é para ler, também sem pressa: o projeto Lupa na Ciência analisa artigos científicos sobre a Covid-19, da Agência Lupa, especializada em fact-checking. Uma curadoria refinada de pesquisas que ajudam a desmistificar conceitos, desmascarar boatos, mentiras (as tais fake news). Exige persistência para acessar hiperlinks ou o grande resumo que a equipe da agência faz de forma educativa, sem ser chato ou pedante. 

Valem a pena!

Crédito:Arquivo pessoal

*Fernanda Iarossi é jornalista, Mestre em Comunicação Midiática pela UNESP – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Neto. Professora nos cursos de Comunicação da UAM – Universidade Anhembi Morumbi e Fapcom – Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação e em São Paulo. Coordenada o Grupo de Pesquisa Discursos Midiáticos na Fapcom.

Leia também