Opinião: “Áudio em um clique”, por Fernanda Iarossi

Pode durar alguns minutinhos ou horas. Ter entrevista ou ser bate-papo... Podcast é cada vez mais explorado por jornalistas e veículos de comunicação

Fernanda Iarossi | 17/12/2019 13:57
Crédito:Pixabay


Dá para acessar via sites ou aplicativos agregadores (como Apple Podcasts, Google Podcasts. Spotify, Deeze, Castbox, TuneIn, Podcast Addict). São os podcasts - narrativas digitais em áudio que estão em alta. Inclusive o formato - “Reportagem de áudio” (Audio Reporting) - a partir de 2020 poderá ser premiado em nova categoria do prêmio Pulitzer de jornalismo

Os números confirmam o aumento na popularidade desta ferramenta explorada por jornalistas e veículos de comunicação. No segundo trimestre de 2019, relatório do Spotify registrou mais de 30 mil novos podcasts mundialmente. A agência Volt Data Lab, com informações do site Pocket Casts (agregador mundial de podcasts), divulgou que a produção de podcasts no Brasil disparou nos últimos 15 anos: a confecção dos 100 principais podcasts brasileiros cresceu em 200 vezes desde 2005, chegando a mais de 3.400 episódios publicados em 2018.

Há diversos tipos: entretenimento, bate-papo (feito em forma de conversa), storytelling:(narrador conta uma história de forma ensaiada), informativo, didático. Podem durar poucos minutos ou horas. Podem ser diários, semanais, quinzenais, mensais ou especiais sobre temáticas específicas. 

Algumas iniciativas mesclando diferentes formatos: 
B9 
G1 

Crédito:Arquivo pessoal

*Fernanda Iarossi é jornalista, Mestre em Comunicação Midiática pela UNESP – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Neto. Professora nos cursos de Comunicação da UAM – Universidade Anhembi Morumbi e Fapcom – Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação e em São Paulo. Coordenada o Grupo de Pesquisa Discursos Midiáticos na Fapcom.

Leia também