Jornal Comunicare, da PUCPR, promove imersão no jornalismo com produção convergente de conteúdo

Gisele Sotto, em colaboração | 23/10/2019 12:25
A seção Bastidores do Labjor destaca o Comunicare, jornal laboratorial do curso de Jornalismo da PUCPR. É produzido por estudantes dos períodos iniciais e intermediários, que atuam como pauteiros, repórteres, fotógrafos, editores e diagramadores. 

O Portal IMPRENSA conversou com as estudantes Beatriz Bleyer e Julianne Trevisani sobre sua experiência no jornal. 

O jornal-laboratório 
Nome: Comunicare
Instituição: Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), de Curitiba/PR
Professores responsáveis: Lenise Aubrift Klenk, Rafael de Oliveira Andrade e Renan Colombo
Data de inauguração: 1997
Quantidade de estudantes envolvidos: Cerca de 30 por edição
Crédito:Comunicare / PUCPR

Os bastidores do Comunicare, por Beatriz Bleyer

Imersão no jornalismo
O jornal necessita do nosso trabalho prático diariamente, e por isso consegui uma imersão significativa na realidade profissional do jornalismo, e aprendo cada dia mais. 

Importância da estrutura
A estrutura da Fatos [central de produção convergente de conteúdo] é imprescindível no nosso desempenho, aqui nós temos acesso a computadores, aparelho de rádio, e televisão, o que nos aproxima muito dos ambientes reais das redações dos jornais. 

Projetos especiais
Apesar de eu não participar, nas sextas-feiras são discutidos os projetos especiais do jornal. O professor Renan está sempre tentando inovar e atualizar esses projetos para a nossa realidade, como agora com a inserção dos podcasts. Sempre é possível perceber que os participantes gostam e aproveitam muito essa experiência.

Importância dos professores
Além da estrutura completa, como a nossa, o acompanhamento dos professores é extremamente importante, pois recebemos dicas, e aprendemos muito com eles sobre o meio profissional.

Como você define o trabalho no seu labjor
É uma oportunidade única, por isso tento aproveitar ao máximo, para aprender a real prática do jornalismo.
Crédito:Comunicare / PUCPR
Os bastidores do Comunicare, por Julianne Trevisani

O que deu muito certo ou muito errado
Eu estava fazendo uma reportagem sobre a mudança das placas de carro para o modelo Mercosul, e na época ainda não estava decidido se de fato ia ocorrer a mudança ou não, e como iam colocar em pratica o novo modelo. A matéria era para sair no jornal impresso, mas sempre que eu ia entregar a reportagem, publicavam mais alguma informação que acabava sendo crucial. Reescrevi a matéria várias vezes e acabou não saindo no jornal. Foi nesse momento que vi como é difícil trabalhar no impresso, pois, por mais que não seja uma notícia imediata, ela não pode acabar ficando velha e perdendo a sua importância e credibilidade.

Dicas para outros labjors 
Fazer parte de um jornal laboratorial é algo que demanda muito tempo e dedicação. Para nós estudantes, fazer algo com pressa nunca vai ser bom. Você sempre vai acabar deixando passar algum detalhe e vai ter que refazer o trabalho.

Considero muito importante aprimorar suas habilidades. Quando entrei para o Comunicare, eu já tinha uma experiência em diagramação e mesmo assim estou aprendendo muitas coisas novas, tanto com os professores, quanto com pesquisas comparativas que eu faço. Então acho que ter dedicação é essencial, dentro e fora do labjor, fazendo suas atividades e pesquisando novas maneiras e ideias para o seu trabalho.

Como você define o trabalho no seu labjor
O labjor é ótimo para saber na prática como funciona a produção de conteúdo para jornais. Eu faço a diagramação, então não fico muito em contato com a produção das matérias em si, mas a rotina de trabalho é muito legal. As matérias prontas são passadas para mim e, a partir daí, posso começar a trabalhar no desenho de cada edição do jornal. Mesmo com o padrão de diagramação a ser seguido, os professores me dão bastante liberdade na hora de construir as matérias nas páginas. Acho que isso dá um toque meu ao trabalho.

Depois que diagramo tudo, passo a primeira versão do jornal para os professores responsáveis, eles corrigem e faço as alterações. Esse é um processo bem trabalhoso e demorado, pois sempre vai ter algum errinho que todos deixam passar, mas a gente tenta deixar tudo perfeito.
Crédito:Reprodução / Comunicare - PUCPR

Jornal indica
A reportagem “Falta de informação impede combate à violência doméstica” faz parte do projeto de internacionalização do curso de Jornalismo da PUCPR e integra a edição 314 do jornal Comunicare. 

Quer participar da seção Bastidores do Labjor? Saiba como aqui

Leia também