Eduardo Magrani discute ética para Inteligência Artificial no mídia.JOR

Quem vai responder por máquinas que cada vez mais se distanciam de seus programadores?

Tâmara Santos, do FIAM-FAAM | 03/10/2019 14:36
Discutir ética na situação atual do Brasil é primordial. Se pensar em ética nas esferas mais comuns da sociedade já é difícil, imagina pensar em um tema tão delicado quanto a inteligência artificial. O vice-presidente do Instituto Nacional de Proteção de Dados Pessoais (INPD), Eduardo Magrani, pensa, discute e problematiza a necessidade de ética para a IA.
Crédito:Tâmara Santos

No mídia.JOR, evento promovido pela Revista e Portal IMPRENSA, Eduardo falou ao público, direto da Alemanha. Ele explica que quanto mais se discute a ética das máquinas, mais se pensa na ética humana e na ética animal.

Eduardo traz para a discussão o que chama de AI fraca e AI forte. Para ele não temos ainda uma “strong AI”, que seria uma máquina com capacidade muito maior, “o que temos hoje: são máquinas com capacidade bem limitada”. As empresas trabalham a todo vapor para criar a strong AI, mas o direito não está preparado para isso e nem os processos democráticos, segundo ele.
 
E questiona sobre quem vai arcar com possíveis danos causados por essas máquinas, quem responde em caso de máquinas que reproduzem, por exemplo, racismo e fascismo, e como saber se a máquina desenvolveu esse perfil de forma autônoma ou se foi de alguma forma programada. “Estamos criando, a partir de agora, máquinas imprevisíveis by design”, que vão cada vez mais vai se distanciar dos seus programadores, destaca o vice-presidente do INPD.  

Deixando o público com diversas questões para refletir, Eduardo termina a palestra com uma frase de um filósofo italiano: “O desafio não é a inovação tecnológica e sim a governança digital”, e indica a leitura de sua trilogia de cultura digital para os que querem se aprofundar no tema. Os livros estão disponíveis para download neste site.  

*Tâmara Santos é estudante no FIAM-FAAM. Para a cobertura do mídia.JOR, IMPRENSA estabeleceu uma parceria com universidades e professores por meio do projeto "Embaixador IMPRENSA" - uma iniciativa do Portal IMPRENSA que reúne estudantes de Comunicação para um intercâmbio de informações e experiências.

Leia também