Intercom 2019: Rádio Intercom é relançada e está com chamada aberta para as rádios universitárias enviarem suas produções

Gisele Sotto, em colaboração | 02/08/2019 13:32
A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) relançará em agosto a Rádio Intercom, que fará a cobertura radiofônica antes, durante e após o 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2019), a ser realizado entre os dias 2 e 7 de setembro de 2019 na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém.

A emissora transmitirá sob demanda, via Spotify e Google Podcast, notícias e entrevistas com pesquisadores que integram a Diretoria da Intercom e a Comissão Organizadora do congresso nacional em Belém, bem como alguns palestrantes e conferencistas. Durante os dias do evento, a rádio fará transmissões ao vivo, recebendo congressistas e convidados para um bate-papo no estúdio.

Além do conteúdo próprio, a Rádio Intercom também transmitirá programação diversificada produzida por emissoras universitárias parceiras, contando com o apoio da Rede de Rádios Universitárias do Brasil (RUBRA). 

O Portal IMPRENSA conversou com Nair Prata, coordenadora geral da Rádio Intercom, e Ricardo Fadul, responsável pelo gerenciamento de conteúdo e produção, e com Suzana Cunha Lopes, da UFPA, representante da Comissão Organizadora local do congresso na Rádio Intercom.
Crédito:Arte com imagem do Pixabay e logo da Intercom

Nair Prata, que também é Diretora Científica da Intercom comenta a retomada da Rádio Intercom, a dinâmica da cobertura durante o Intercom 2019, e destaca que “a parceria com as emissoras universitárias é a própria essência da Rádio Intercom”.  

O que motivou a retomada da Rádio Intercom?
 
Nair Prata: A Rádio Intercom foi criada em 2015 para ser uma das ferramentas de divulgação do 38º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, realizado no Rio de Janeiro, pela UFRJ. Criamos até um slogan: “A Rádio que toca Intercom”. Na época, fizemos parcerias com dezenas de rádios universitárias de todo o país para a produção de conteúdo. A emissora começou a transmitir um mês antes do Congresso levando informações aos congressistas, dicas de turismo, entrevistas com os convidados. E durante os dias do evento transmitimos ao vivo, direto dos estúdios da rádio da UFRJ. Toda esta movimentação teve um retorno bastante expressivo e sempre tivemos vontade de retomar a transmissão da rádio. Agora, para o Congresso de Belém, isso foi possível e formamos uma equipe que já está trabalhando para colocar a rádio no ar.
 
Pode explicar como será a dinâmica de cobertura pela rádio durante o congresso da Intercom?

Nair Prata: Vamos repetir a mesma dinâmica da primeira edição da Rádio Intercom. Inicialmente, teremos programação voltada aos preparativos do Congresso, como informações sobre Belém – cidade que receberá o evento este ano, dicas para os congressistas, entrevistas com os convidados que participarão das diversas atividades. É como um “esquenta”, para que os congressistas se sintam ainda mais motivados a viajar para Belém e participar de todos os eventos que fazem parte do Congresso da Intercom.

E novamente, durante o Congresso, faremos um grande mutirão com programação ao vivo, direto do campus da UFPA, em Belém. Teremos um revezamento de comunicadores ao microfone que colocarão no ar as produções das emissoras parceiras e também farão entrevistas e promoções no melhor estilo das grandes rádios. Já temos uma caixa de brindes que serão sorteados entre os ouvintes que participarem da programação.
 
A rádio também vai transmitir programação diversificada produzida por emissoras universitárias parceiras. Qual é a importância de mais este canal para as universidades? E como serão estabelecidas as parcerias para a divulgação de conteúdos? 

Nair Prata: A parceria com as emissoras universitárias é a própria essência da Rádio Intercom. Na primeira edição saímos à procura de rádios interessadas e depois de muito trabalho conseguimos montar uma grande lista de adesões. Agora tudo ficou mais fácil, já que desta vez contamos com o apoio da Rede de Rádios Universitárias do Brasil (RUBRA), que já aderiu ao nosso projeto e inseriu as emissoras parceiras na programação. Como fazemos uma rádio com viés acadêmico e de abrangência nacional, a participação das emissoras universitárias é fundamental para a composição da programação, de modo que todas as regiões brasileiras serão contempladas levando conteúdo dos mais variados matizes da pesquisa em Comunicação.
Crédito:Divulgação / Intercom 2019

Suzana Cunha Lopes, que é docente na Universidade Federal do Pará (UFPA), comenta sobre o envolvimento dos estudantes na cobertura do Intercom 2019, e o que representa para a UFPA sediar esta edição do congresso, considerando que é a primeira vez que o evento acontece no Pará. 

De que maneira os estudantes de comunicação estarão envolvidos na cobertura do Congresso da Intercom? Eles irão produzir também conteúdo específico para a Rádio Intercom?

Suzana Cunha Lopes: Fizemos um cadastro aberto de monitores para todas as instituições de Belém e também de outras localidades, visto termos recebido mensagens de alunos que virão ao evento e gostariam de colaborar na monitoria. Nesse sentido, contaremos com alunos de comunicação, mas também de outros cursos e de outras instituições atuando conosco ao longo do evento, inclusive na equipe da Rádio Intercom. Eles auxiliarão na produção de conteúdo para a cobertura das atividades durante o evento.

O que representa para a UFPA receber a edição 2019 do Congresso da Intercom?

Suzana Cunha Lopes: Acreditamos que é muito significativo que uma instituição do Norte receba o Intercom deste ano, sobretudo sendo palco da discussão do tema "Fluxos Comunicacionais e Crise da Democracia". É um momento importante para o país, para a ciência e para a universidade pública. Então esperamos que o Intercom Nacional 2019 seja um grande espaço de encontro para discussão e busca de caminhos possíveis para o fortalecimento da democracia e da Universidade como patrimônio imprescindível para o projeto do país. Portanto, além do fato de ser a primeira vez que o Intercom Nacional é sediado no Pará, o tema e o momento político tornam a sede em Belém ainda mais expressiva.
Crédito:Arte com imagem de divulgação do Intercom 2019

Ricardo Fadul, que também é professor no Uni-Facef e Gerente de Criação na Shasta Music, dá mais detalhes sobre a parceria da Rádio Intercom com as rádios universitárias. 

Quais serão alguns dos critérios para definir o que será veiculado na rádio? 

Ricardo Fadul: Dar voz ao universo Intercom, utilizando as novas plataformas tecnológicas que o rádio adquiriu nos últimos anos e seguindo nosso slogan: Rádio Intercom – A rádio que toca Intercom.
 
Além de temas relevantes, há critérios a serem considerados pelas universidades na produção do conteúdo?
 
Ricardo Fadul: Serão aceitas produções avulsas ou seriadas, inéditas ou não, nos diferentes formatos radiofônicos, que estejam de acordo com os seguintes critérios: (i) Tenham finalidade educativa, artística, cultural, científica e/ou informativa; (ii) Demonstrem coerência com a finalidade da Rádio Intercom, apresentando conteúdos relevantes para o desenvolvimento científico e tecnológico na área da Comunicação e/ou que estejam relacionados aos temas e atividades que integram a programação do Intercom 2019; (iii) Respeitem os princípios éticos e legais; (iv) Sigam um padrão de qualidade sonora que possibilite a escuta e a compreensão do material. (v) Sejam produzidas no âmbito da emissora universitária proponente, com autorização de direitos de transmissão, sem ônus para a Rádio Intercom ou para as emissoras parceiras. (vi) Apresentem os devidos créditos de autoria, tais como produção, locução, reportagem, trabalhos técnicos e vinculação institucional.
 
Existe previsão de dar espaço também para a veiculação de podcasts ou programas de rádio desenvolvidos como projetos de TCC?

Ricardo Fadul: Sim, claro. No período de inscrição estaremos abertos para trocar experiências sonoras com os parceiros. E durante o evento também teremos a oportunidade de conhecer todos pessoalmente e assim abrir os microfones para os professores, pesquisadores e alunos.
Integração Total.
 
Como foi pensada a produção de conteúdos pela Intercom, após o congresso?

Ricardo Fadul: Nosso canal de podcasts ficará no ar e seu conteúdo ficará por conta dos parceiros que fizermos nessa super cobertura do Congresso Nacional Intercom. Iremos decupar as entrevistas e melhores momentos da transmissão que faremos ao vivo nos dias do congresso. Convergência de ideias e multidisciplinaridade no ar. Vida longa a Rádio Intercom.

Para saber mais detalhes sobre a chamada aberta para emissoras de rádio universitárias, que queiram participar da cobertura colaborativa do 42º Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação (Intercom 2019), acesse este link. Em caso de dúvidas é só entrar em contato pelo e-mail webradiointercom@gmail.com. 

Siga o Intercom 2019 no Facebook e no Instagram (@intercomnacional).

Leia também