Opinião: "10 livros novos e gratuitos de Comunicação para você fazer o download agora mesmo!", por Enderson Oliveira

Enderson Oliveira | 10/07/2019 15:28
Há ainda na academia, inclusive em Comunicação Social e suas interfaces, talvez por nossa história colonial ou mesmo de "tradição", uma preferência por autores europeus (em especial da França, Alemanha e Inglaterra) e dos Estados Unidos.

A repetição de perspectivas e mesmo de linhas pensamento por vezes alçam alguns conteúdos à condição de clássicos e/ou de obras mais recorrentes. Este processo, aliada à compressão do tempo, talvez diminua algumas visões e mesmo provoque o não aproveitamento de muitos outros autores e obras, talvez mais “instigantes”, novos e mais próximos – inclusive geograficamente – a nós.

Levando isto em conta, selecionei dez livros novos de autores brasileiros ou mesmo de centros de pesquisa “menos incensados” (mas nem por isso menos relevantes). Todas as obras são gratuitas, estão disponíveis em PDF para download e apresentam novas perspectivas em Comunicação (e diálogos com a Antropologia, por exemplo) e já deveriam ter sido indicadas a você...

Veja a lista abaixo, tendo como base o resumo/ apresentação dos próprios autores. Aproveite!
Crédito:Montagem por PV Dias (@palovitu)

01. Jornalismo Inovador na América Latina (2017), editado por Teresa Mioli e Ismael Nafría

A obra compila todos os artigos da série "Jornalismo Inovador na América Latina", publicados no Centro Knight de Jornalismo das Américas entre dezembro de 2016 e abril de 2017. O livro também inclui vários guias rápidos, nos quais diferentes especialistas oferecem conselhos práticos para melhorar a atividade jornalística on-line.

Os artigos, breves e cirúrgicos, abordam uma grande variedade de temas relacionados à inovação jornalística digital, como o desenvolvimento da realidade virtual e projetos de vídeo 360, o uso do Facebook Live ou do Periscope e a adoção de novas narrativas digitais. Podcasts bem sucedidos, reportagens transnacionais, jornalismo de dados e projetos de factchecking também são assuntos abordados. Além disso, o livro analisa em profundidade projetos ou meios de comunicação que chegam a novos públicos de maneiras inovadoras.

2. Monitoramento e Pesquisa em Mídias Sociais: metodologias, aplicações e inovações (2016), com organização de Tarcízio Silva e Max Stabile
 
O livro, publicado pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD), reúne colaborações de uma rede de profissionais e pesquisadores que atuam em universidades, empresas e agências. Temas basilares, mas ainda controvertidos, como análise de sentimento, atendimento ao consumidor ou etnografia somam-se a aplicações e inovações que vão de reconhecimento de imagem a estudos sobre memes, compondo contribuição sólida ao campo.
A obra é um ótimo guia para o desenvolvimento de novas pesquisas em Comunicação, também para aqueles que já atuam ou querem atuar no mercado de mídias sociais.

3. Narrativas jornalísticas para dispositivos móveis (2019), de João Canavilhas, Catarina Rodrigues e Fábio Giacomelli (organizadores) 

Segundo os autores, mobilidade e jornalismo são dois conceitos cujos caminhos se cruzam ao longo da história. Além disso, atualmente, quanto mais portátil e móvel for o suporte de distribuição, mais fácil será levar os conteúdos aos seus destinatários finais: os cidadãos.

Este livro reúne 15 trabalhos que discutem como a massificação do acesso à Internet e, mais tarde, dos smartphones, permitiu ao jornalismo encontrar a plataforma ideal para chegar aos cidadãos. 

4. Políticas Etnográficas no Campo da Cibercultura (2016), organizado por Jean Segata e Theophilos Rifiotis
 
Nos últimos 20 anos, estudos no campo da cibercultura ganharam evidência no Brasil a partir de disciplinas como a sociologia, a comunicação, a filosofia, a antropologia e as artes. Temas como o da realidade virtual, da Comunicação Mediada por Computador, da internet e dos seus dispositivos, como também aqueles da inteligência artificial, do pós-humano e da elasticidade da vida – nos laboratórios ou no ciberespaço – são os mais recorrentes.

Além disso, há ainda hibridismos com os corpos humanos em próteses de múltiplos tipos e finalidades que são também exemplos de como os estudos do campo da cibercultura mesclam a ficção científica, a ideia de futuro e as transformações concretas da vida contemporânea. São justamente estas e outras perspectivas que são discutidas pelo Grupo de Pesquisa em Ciberantropologia (GrupCiber) em tal obra.


Publicado pela Editora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (EDIPUCRS), a obra de Lars Elleström estabelece alguns dos limites dos estudos de Intermidialidade e, sobretudo, apresenta ferramentas para compreender as relações entre as mídias não apenas a partir de suas características próprias, mas também em vista dos diferentes aspectos da percepção das artes e seus produtos. 
Crédito:Montagem por PV Dias (@palovitu)

6. Pesquisa em Comunicação – Metodologias e Práticas Acadêmicas (2016), organizado por Cláudia Peixoto de Moura e Maria Immacolata Vassallo de Lopes

O livro é composto por artigos de 14 autores dos principais programas de Pós-Graduação em Comunicação do país e reúne as práticas acadêmicas que envolvem discussões a respeito da temática ‘Metodologia da Pesquisa em Comunicação’, que podem contribuir para maior clareza e mesmo organização na produção de pesquisas na área no Brasil.

7. Estudando Cultura e Comunicação com Mídias Sociais (2018), organizado por Jaqueline Buckstegge, Pedro Rogedo e Tarcízio Silva

O livro, publicado pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD), apresenta textos sobre como estudar a cultura e comunicação com e através das mídias sociais. Metodologias, métodos, abordagens, técnicas e aplicações como mineração de dados, análise de conteúdo, etnografia, mapeamento e análise de redes desenho de instrumentos, psicometria e cartografia de controvérsias são lentes usadas pelos autores para estudar fenômenos micro e macrossociológicos.

8. Amazônias em tempos contemporâneos: entre diversidades e adversidades (2017), organizado por Jane Felipe Beltrão e Paula Mendes Lacerda

Nesta obra, os pesquisadores destacam questões relativas ao patrimônio material e imaterial em contextos de enfrentamento – velados ou abertos – em territórios tradicionais, em paisagens, em corpos e objetos que ganham importância como focos de negociações de identidades (étnicas, raciais, sexuais e de gênero) e direitos (à diferença), ao mesmo tempo em que as políticas públicas revelam as dificuldades, o despreparo, a surdez interessada do Estado em dar conta da gestão de uma sociedade na qual se clama pelo respeito à diversidade e pela necessidade de observância da pluralidade que nos representa.

9. Antropologia da Comunicação de massa (2016), de Isabel Travancas e Silvia Garcia Nogueira (organizadoras)
 
Segundo descrição presente no Scielo, este livro apresenta reflexões de pesquisadores brasileiros e argentinos sobre a comunicação de massa na perspectiva da antropologia. Nas últimas décadas tem crescido o interesse pela comunicação de massa dentro do campo da antropologia. Ela tem, cada vez mais, se voltado para temas contemporâneos buscando examiná-los à luz de um novo enfoque, que percebe sua complexidade, sem preconceitos ou visões estereotipadas.

10. Plágio acadêmico (2016), de Marcos Wachowicz e José Augusto Fontoura Costa

Não adianta possuir boas e novas referências para produção acadêmica em Comunicação se a pessoa acabar incorrendo no erro (má fé) de utilização de referências externas sem a devida citação. Ou seja: não adianta saber muito caso se faça plágio.

Partindo disto e do fato de que o plágio é a usurpação da autoria de obra alheia, atualmente na produção acadêmica tem se verificado a ocorrência de episódios cada vez mais comuns de plágio, o que compromete todo o trabalho de pesquisa desenvolvida pelos pesquisadores, alcançando não raras vezes as próprias instituições públicas e privadas.

Este livro apresenta os conceitos básicos sobre o Direito Autoral para a compreensão ampla do fenômeno do Plágio no meio acadêmico, para coibir a ocorrência do plágio em artigos, trabalhos de conclusão de curso, dissertações, teses e outros trabalhos de pesquisa.

E aí, gostou? Deixe outras sugestões de obras nos comentários!

Crédito:Ruan Cardoso
*Enderson Oliveira - Professor, jornalista, mestre em Ciências Sociais, doutorando em Sociologia e Antropologia. Belém do Pará, Amazônia. Site: http://endersonoliveira.com | Instagram e Twitter: @o_enderson_

Leia também