Reportagem especial, da Campus Repórter, aborda a representação dos indígenas pela mídia

Redação Portal IMPRENSA | 20/12/2018 10:49
Para desenvolver seu TCC, Thomas Jefferson Gonçalves passou uma semana vivendo na terra indígena Sororó, que fica no estado do Pará. A reportagem especial “Aikewáras: a guerra contra o esquecimento” (leia aqui) foi publicada na edição especial de 10 anos da Campus Repórter, revista produzida pela Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília - UnB.
Crédito:Reprodução / Campus Repórter

Essa reportagem aborda como os indígenas da etnia aikewára foram torturados por agentes do Estado durante os combates contra a Guerrilha do Araguaia, em inícios dos anos 1970. Também promove uma reflexão sobre a representação dos indígenas pela mídia, mais especificamente nos grandes jornais impressos. O projeto experimental que fundamentou a reportagem, você confere aqui.

Em entrevista ao Portal IMPRENSA, Thomas fala dos desafios na produção. Ele se formou em Comunicação Social, com habilitação em jornalismo, pela UnB em 2017. 
Crédito:Teresa Sobreira

Sobre o trabalho 

Meu trabalho de conclusão de curso trata sobre a maneira como os meios de comunicação tratam o indígena no Brasil, pegando um caso concreto: o processo de tortura e anistia sofrido pelos aikewáras.

Principais desafios ao longo da produção

Obter as devidas autorizações dos órgãos competentes para entrar na reserva indígena foi o maior desafio. Além disso, planejar uma viagem para um destino tão diferente e distante. Por fim, como fiz o trabalho sozinho, me planejar para conseguir produzir todo o necessário em perfeita sincronia – planejar a viagem, cuidar da burocracia, entrevistar, escrever, tirar fotos, diagramar a reportagem, etc.

Os aprendizados

O primeiro foi a importância do planejamento. Sem isso, é quase inviável realizar um projeto dessa proporção em um tempo tão exíguo. Além disso, compreender o tempo dos indígenas, sua mentalidade e a realidade em que estão inseridos. Despir-me de preconceitos comuns à nossa sociedade.

Significado dessa experiência 

Comprovar que sou capaz de realizar uma pesquisa inédita e com relevância social. Abrir meus olhos para outras realidades de nosso país. Entender que podemos desenvolver nossa profissão de diferentes maneiras.

Contribuições que o trabalho trouxe

Participar de congressos acadêmicos por meio de artigos derivados desse TCC, enveredando assim uma possível carreira acadêmica paralela.

Conselhos para quem está fazendo o TCC

Começar o mais breve possível o planejamento, ainda que não se tenha ideia exata do recorte que se pretende dar na pesquisa. Isso permite verificar quais processos burocráticos carecerão de mais tempo para serem aprovados, se for o caso. Além disso, enxergar o TCC como uma oportunidade para derivar artigos científicos com os quais possa participar de congressos e de publicações. Não dispensar essas oportunidades, pois podem ser muito úteis no futuro.

Leia também