Opinião: "Dicas para garantir um excelente TCC em Jornalismo", por Patrícia Paixão

Patrícia Paixão | 28/06/2018 10:46
Após três anos da graduação de Jornalismo, finalmente chega o momento de colocá-lo em prática: o temido Trabalho de Conclusão de Curso. É hora de saber se depois de tantas técnicas e conhecimentos aprendidos em diferentes disciplinas o aluno está pronto para atuar na profissão.

Muitas dúvidas costumam rondar os graduandos de Jornalismo quando o assunto é TCC. Alguns começam a ficar angustiados sobre qual tema escolher desde o início do curso, o que eu considero um ótimo sinal. Quanto antes o estudante pensar sobre isso e se planejar, melhor. 

A seguir estão algumas dicas de quem orienta TCCs de Jornalismo há mais de dez anos, e ministra cursos a respeito. Anote!
Crédito:Pixabay

ESCOLHA DO TEMA 

Costumo destacar aos meus alunos que um Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo é sempre uma grande reportagem, mesmo quando aluno escolhe fazer como modalidade de TCC um documentário ou um programa de rádio; não importa. E, como tal, a escolha do tema, que seria a pauta desta matéria especial, precisa se ancorar nos famosos critérios de noticiabilidade. Dois deles, muito importantes, são o interesse público e o ineditismo. Com relação ao primeiro, vale a pergunta: Que contribuição o meu tema trará à sociedade? Sobre o segundo, cabe se questionar: o que o meu trabalho tem de diferencial em relação a outros TCCs e reportagens publicadas sobre o mesmo tema? Necessariamente você precisa oferecer algo novo, nem que for a abordagem que você fará do assunto ou a mídia que será trabalhada. Outras questões importantes a serem feitas são: Tenho conhecimento razoável a respeito desse tema? A apuração desse tema será exequível (ou seja, conseguirei ir até o local, conseguirei pessoas que topem falar a respeito)? O tema conta com referencial teórico à disposição? 

Sobre essa última questão, não se esqueça que as faculdades de jornalismo cobram, além do produto (livro-reportagem, grande reportagem impressa, documentário, etc), um relatório científico, com fundamentação teórica sobre o tema. O seu tema pode envolver ainda outros critérios de noticiabilidade, como o conflito (fatos que envolvam diferentes interesses em jogo, como um TCC sobre os movimentos sociais que ocupam prédios vazios em São Paulo, em busca de moradia digna. Esse tema envolve tanto os interesses desses movimentos como dos donos dos prédios e do poder público); a empatia (temas com os quais muitas pessoas conseguem se identificar, por exemplo um TCC mostrando como mulheres que sofreram mutilação, por conta do câncer de mama, lidam com a questão do feminino. Todo mundo conhece alguém que teve esse tipo de câncer, então a identificação é certa) ou ainda a proeminência (quando o TCC conta a trajetória de uma pessoa renomada. Por exemplo, um livro-reportagem-biografia de um jogador famoso. Meus ex-orientandos Sidney Barbalho de Souza e André Guimarães, por exemplo, fizeram dois livros-reportagens maravilhosos sobre a carreira dos jornalistas Marcelo Canellas, da TV Globo, e Gérson de Souza, da RecordTV - respectivamente).

ESCOLHA DA MÍDIA 

Dois pontos devem ser considerados nesta escolha. O primeiro é adequação da mídia ao tema. É importante analisar se o tema que você escolheu vai poder ser bem explorado naquele meio de comunicação. Não consigo imaginar um TCC sobre os bastidores do circo sendo feito em livro-reportagem. É um tema muito imagético, que ficaria bem melhor explorado em um documentário de TV. Quando penso nesse tema quero ver as coisas acontecendo: os malabares fazendo suas artes, os trapezistas se jogando de um lado para o outro, enfim. Há ainda temas polêmicos sobre os quais poucos personagens topariam falar para a TV, mas poderiam aceitar falar para uma reportagem escrita, na qual não precisassem mostrar diretamente seus rostos.

Por exemplo, um TCC sobre médicos que fazem uso de drogas, para conseguir lidar com a pressão no dia a dia de trabalho. Outro ponto é pensar se você tem intimidade com a mídia escolhida. Se tem dificuldades com a escrita, o livro-reportagem, por exemplo, não é um bom caminho, pois ele demanda muito, muito texto. Já se o seu problema é ficar diante das câmeras, não é uma boa escolher como mídia a TV, a não ser que você fique nos bastidores da produção.
Crédito:Pixabay


ESFORÇO DA REPORTAGEM

O TCC é considerado o ponto de coroamento do curso, por isso mesmo exige-se do aluno um grande esforço de reportagem. Depois de escolhido o tema, é muito importante que o estudante faça uma pesquisa de quem são os maiores especialistas naquele assunto no Brasil e tente entrevistá-los. Incluir especialistas de peso no seu trabalho será um grande diferencial considerado pelo avaliador na banca. Você precisará também de excelentes personagens. São eles que humanizarão seu tema, oferecendo histórias interessantes que exemplifiquem o assunto abordado, tornando-o atrativo. E bom personagem raramente se consegue com aquela famosa mensagem no Facebook: “Ajude um repórter”.

Uma dica é procurar uma entidade, uma associação, enfim, um grupo de pessoas que passe por aquela situação que você está abordando no TCC. Exemplo: se o trabalho traz perfis de pedreiros, seria bom procurar o sindicato desses profissionais e entrar em um grupo dessa categoria profissional no Facebook. Além de especialistas renomados e bons personagens, muitos temas demandam fontes oficiais, as quais costumam dar um chá de cadeira no aluno, por serem muito requisitadas e contarem com estruturas gigantes de assessoria de imprensa, treinadas para blindá-las. A dica é ficar no pé e deixar claro para a fonte que, caso ela recuse a entrevista, essa negativa será informada ao leitor no trabalho.

Duas fontes que os alunos costumam esquecer e que também são importantes para o TCC são as documentais (pesquisas e estudos já publicados sobre o assunto) e as bibliográficas (um livro sobre o tema ou uma dissertação de mestrado ou tese de doutorado que tenha estudado o assunto). Lembro-me de um TCC muito bom que eu avaliei sobre profissionais da limpeza urbana, que trouxe como fonte bibliográfica uma tese de um professor que, como parte de sua pesquisa, se infiltrou entre os garis, vestido como um deles, por alguns meses. Com esse estudo, ele conseguiu provar a invisibilidade que essa profissão tem perante a sociedade. O estudo tinha tudo a ver com o que os alunos estavam abordando no TCC. Se o seu objeto de estudo está em outra cidade e/ou estado, você terá que ir até o local onde ele está. Não há desculpa, pois, como já dito, o TCC é o momento de esforço máximo de reportagem. Por isso, pense bem antes de escolher o tema. 

Meu aluno que produziu o livro-reportagem sobre o jornalista Marcelo Canellas, por exemplo, foi até Passo Fundo (cidade onde o jornalista nasceu) e mais diversos outros municípios, em diferentes estados, onde o repórter viveu momentos importantes de sua trajetória. Cuidado, pois essas idas a campo precisam ser muito bem aproveitadas. Lembro-me de um grupo que foi até outro estado para fazer entrevistas e as gravações em vídeo (o TCC era de TV) ficaram muito ruins. Conclusão: tiveram que voltar até o local para fazer tudo de novo. Um gasto absurdo de dinheiro. Quanto mais for a campo e mais fontes de credibilidade tiver, mais bem avaliado na banca você será.

SOBRE O TRABALHO ESCRITO (relatório) 

Certifique-se de que você sabe exatamente como desenvolver cada tópico do trabalho científico. Pegue um livro de metodologia científica e leia atentamente, pedindo ajuda ao seu orientador. Já cansei se ler relatórios cujo item “Justificativa” não tem nada justificado. As normas da ABNT são insuportáveis sim, mas precisam ser respeitadas. É fácil segui-las com um manualzinho do lado. Vá até a biblioteca da sua faculdade e peça à bibliotecária o manual para a elaboração de TCCs. Nele, certamente você encontrará as normas da ABNT seguidas na sua instituição. MUITO, MUITO CUIDADO COM ERROS DE PORTUGUÊS OU DIGITAÇÃO no trabalho escrito. Isso queima muito o filme. Você está se formando em Jornalismo e o jornalista precisa dominar a Língua Portuguesa. Se for no produto, então, pior ainda. O avaliador ficará temeroso de colocar no mercado um aluno que apresente muitos erros gramaticais. Vale a pena revisar 70 X 7 e ainda contar com o trabalho de um profissional de revisão. Na fundamentação teórica, certifique-se de que você está usando realmente as principais referências sobre o assunto. Para ter certeza disso, só pesquisando muito e profundamente. 

Visite o Google Acadêmico e as plataformas de dados científicos das principais universidades do país. Veja também outras reportagens que já foram feitas sobre o assunto. Quanto mais você mostrar que pesquisou, citando tudo o que já foi feito e o diferencial do seu trabalho em cima disso, melhor. Lembre-se de que você precisa trazer no relatório uma fundamentação teórica sobre o tema e outra sobre a mídia escolhida. Por exemplo, se o seu TCC for uma revista, ele precisa necessariamente citar na fundamentação do produto três importantes livros que tratam do jornalismo de revista: “Jornalismo de Revista”, de Marília Scalzo, “O estilo magazine – O texto em revista”, de Sérgio Vilas Boas, e “A arte de editar revistas”, de Fatima Ali. Por outro lado, se for uma grande reportagem ou livro-reportagem não tem como não citar “Páginas Ampliadas – O livro-reportagem como extensão do Jornalismo e da Literatura”, de Edvaldo Pereira Lima. 

APRESENTAÇÃO PARA A BANCA

É muito importante que você demonstre domínio do tema e paixão. Prove que você conhece cada pedacinho daquele trabalho e que foi um grande prazer fazê-lo. Quando for o momento de os examinadores fazerem suas considerações, sente-se e anote tudo o que eles falarem. É muito importante mostrar que você está realmente interessado nos apontamentos feitos e irá levá-los em consideração. Se considerar alguma crítica injusta, explique-se educadamente, mostrando seus argumentos, sem bater de frente com o avaliador. Ser agressivo, além de falta de educação e de respeito (já que aquela pessoa ali dedicou um bom tempo para ler seu trabalho), criará um clima negativo para a sua aprovação. Demonstrará arrogância da sua parte. Quanto à roupa, nada fora do comum como terno e gravata ou terninho (no caso das mulheres), mas também não vá de bermuda e sandália. O mínimo de formalidade é recomendado: uma calça jeans e uma blusa mais social é uma boa pedida. Revise bem o Power Point da apresentação para evitar erros ortográficos. Não fique lendo o PPT. Isso pode demonstrar falta de conhecimento sobre o trabalho. Para evitar o nervosismo, vale a pena ensaiar a apresentação com o seu orientador, antes da data da banca.

MONOGRAFIA 

Muitas das dicas anteriores valem para quem vai fazer monografia. Agora, obviamente, a parte de fundamentação teórica e de análise tem que ser muito mais desenvolvida nesse caso. É recomendável que somente o aluno que teve alguma experiência com trabalho científico ao longo do curso escolha essa opção, pois o avaliador vai exigir uma discussão teórica muito mais aprofundada. Cuidado para o trabalho não se limitar a ficar citando autores, sem um pensamento seu. Você precisa fazer os autores escolhidos conversarem coerentemente e colocar a sua argumentação, deixando claro suas escolhas. 

DIVULGAÇÃO

Se tem uma coisa que me entristece são bons TCCs que morrem no ambiente acadêmico. Se você foi bem aprovado, faça o seu trabalho voar. Prepare um press-release divulgando seu TCC, com base nas suas aulas de assessoria de imprensa, e ofereça a pauta para os sites que cobrem a área jornalística, como o Portal dos Jornalistas, o Comunqiue-se, dentre outros. O Portal IMPRENSA, por exemplo divulga com frequência os bastidores de bons TCCs de Jornalismo [na seção 'Histórias de TCC']. Se conseguir a divulgação, vai ser ótimo para o seu currículo. Meus ex-orientandos (citados anteriormente), por exemplo, lançaram os livros-reportagens que produziram, com a presença dos repórteres entrevistados nos lançamentos. Eles conseguiram divulgar o livro deles nos principais veículos que cobrem a área jornalística. Isso foi bem importante para a carreira deles.

Fazer um bom TCC vai ser algo maravilhoso para a sua autoestima e seu portfólio. Você vai chegar ao mercado com um trunfo nas mãos. Se seguir as dicas, tenho certeza de que apresentará um excelente trabalho. Te desejo toda sorte do mundo!

Crédito:Arquivo pessoal
*Patrícia Paixão é jornalista e professora do curso de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie e da Universidade Anhembi Morumbi. É organizadora dos livros "Jornalismo Policial: Histórias de Quem Faz" (In House, 2010) e "Mestres da Reportagem" (In House, 2012). Também é responsável pelo blog Formando Focas.

Leia também: