Trabalho sobre Marcelo Canellas e direitos humanos vira livro

Redação Portal IMPRENSA | 01/03/2018 20:00
Formado pela FAPSP – Faculdade de Comunicação, Sidney Barbalho de Souza escolheu abordar a trajetória do jornalista Marcelo Canellas, da TV Globo.
Crédito:Thiago Marinho
Para Souza, o jornalista é um dos poucos profissionais de imprensa que se dedica a fazer reportagens mais focadas em direitos humanos. “Podemos dizer que ele é aquela luzinha vermelha de alerta que pisca quando as coisas não vão bem, a voz de quem não tem voz”, diz. 

Mas a tarefa não foi fácil para o então estudante. Foram 760 horas de entrevista, mais de 50 entrevistados em sete cidades diferentes ao longo de 12 meses. “O trabalho foi muitas vezes cansativo a ponto da estafa, mas, conforme ia me aprofundando no tema, me via mais envolvido e mais fascinado com a carreira do Canellas e com as possibilidades do jornalismo de direitos humanos”, lembra. 

O resultado do TCC de Souza foi tão bom que seu trabalho virou o livro "Marcelo Canellas, por um jornalismo humanista". “Além de ser um resgate da trajetória desse jornalista, a publicação falará a respeito do jornalismo voltado para os direitos humanos em um país como o nosso, marcado por tantas feridas sociais. Esse tipo de Jornalismo no Brasil acaba sendo uma das raras plataformas que a população tem a seu favor para denunciar suas chagas e problemas.” 

Souza também lembra que o principal desafio durante a execução do TCC foi concluir o trabalho dentro do prazo estipulado e, principalmente, conseguir estruturar os diálogos dentro da proposta sugerida. “Além disso, como cada um dos personagens moravam em lugares distintos, foi difícil conciliar o meu trabalho com as minhas viagens”, conta. Ele ainda lembra que outra dificuldade foi se manter imparcial, já que conhecia muito sobre a carreira de Canellas.

Ao concluir o TCC, Souza garante que os principais aprendizados foram respeitar as histórias das pessoas, checar as informações e não ser parcial. “Esse processo nos torna mais maduros para o mercado de trabalho, pois permite nos experimentarmos de várias formas. Nos colocando no papel de profissionais da área e, somente por meio dele, podemos entender a real importância de ser um jornalista.”

E o TCC ainda lhe rendeu outros frutos. Além do reconhecimento por parte dos colegas de profissão, Souza recebeu uma promoção na empresa onde trabalha. E para os futuros jornalistas, ele dá algumas dicas para fazer o trabalho de conclusão de curso: “É preciso realizar um planejamento e seguir todas as etapas, respeitar as fontes, além de checar as informações passadas pelos entrevistados”, diz.

Para finalizar, Souza lembra de outro grande aprendizado durante essa etapa de sua vida. “Antes que eu me esqueça, aprendi a respeitar mais os professores, que nos dão suporte. Principalmente minha orientadora, a jornalista Patrícia Paixão, que mesmo com uma gravidez de risco, me atendeu até mesmo na maternidade. Terei uma dívida eterna com ela”, conta.