FOCA NA IMPRENSA - Leia o artigo 1

01/12/2016 09:00
FOCA NA IMPRENSA

Tema: "Trabalhar em redação, conseguir uma vaga em assessoria de imprensa, participar de meios alternativos, criar seu próprio projeto ou montar uma startup. Quais são os grandes desafios e as melhores oportunidades para um recém-formado em jornalismo nos dias de hoje?"

AUTOR(A): Clara Sasse


Centro Universitário de Brasília - UniCEUB - concluído em 2016


“Via de mão dupla”


Oportunidade. É isso que um recém-formado em jornalismo procura. Não, ele não será o profissional mais qualificado na seleção de pessoal. Não, ele não vai parecer o candidato correto para o cargo durante uma entrevista. Mas ele precisa de uma oportunidade para provar sua importância. Nesse momento, o salário é apenas um fator adicional, o objetivo é rechear o currículo de novas práticas, e ter, cada vez mais, contato com jornalistas experientes.


Na busca pela oportunidade, o estágio descrito no currículo é o maior emprego de todos, se distancia de qualquer desqualificação atribuída ao cargo ocupado por um universitário. O aprendizado adquirido pelo estagiário se compara com o do graduado, guardadas as devidas proporções - as redações, relacionado à crise e redução de pessoal, têm investido em estagiários para trabalhos antes realizados por profissionais.


Quando o jovem sai da faculdade, ele se depara sempre com a mesma pergunta, e agora? Nesse "agora" ele pensa em desistir, pensa em trabalhar com qualquer coisa para não fazer parte do censo do IBGE - são 13,5 milhões de desempregados. Mas, desistir efetivamente? Jamais. O estudante passa anos na faculdade ouvindo de doutores e mestres que o mercado de trabalho é difícil e injusto, e nunca desistiu.


Após a fase de questionamento, é preciso enxergar novas possibilidades. É assim que surge a importância do meio online, responsável pela criação de veículos de comunicação. Essas empresas, muitas vezes, não tem um capital elevado no início do projeto e, por isso, procuram recém-formados, ou seja, qualidade a um salário reduzido - não pense que ofende a categoria dos ex-universitários, lembre-se que o foco deles é a oportunidade.


É claro que existem vários perfis de profissionais. Os mais empreendedores podem se juntar e criar algo novo, mas, de qualquer forma, o meio mais viável será a internet. Os custos são reduzidos, não é preciso gastar dinheiro para investir em uma loja física, o contato entre os colegas pode ser realizado através da própria internet, como o home office (trabalho realizado de casa), em discussão na reforma trabalhista, por exemplo.


O trabalho freelance (profissional autônomo) é outra opção para ganhar experiência e melhorar o currículo. Normalmente, recém-formados são contratados para um trabalho específico com duração limitada, mas a bagagem que adquirem nesse percurso - como fazer contatos e deixar boas impressões já no começo da carreira - já são de extrema valia para o mercado de trabalho.


Ademais, existem inúmeras agências de notícias online, empresas com sede em outra cidade e até veículos tradicionais que estão se redescobrindo e precisam de novas ideias. Então, na via do recém-formado não pode faltar o interesse, deve-se aproveitar todos os caminhos que aparecerem e sempre renovar, mesmo que por conta própria, os estudos. Na via das empresas, é preciso olhar com mais cuidado para enxergar a oportunidade de mudança e crescimento por meio de jovens jornalistas.


AVALIE ESTE TEXTO